SEO: 4 lições do campo de batalha para atingir 219 mil visitas mensais via Google

O artigo que você vai ler agora é um guest post de Guilherme e Roney, fundadores do site de saúde Senhor Tanquinho.

Em poucos minutos, você vai descobrir quais as 4 lições aprendidas no “campo de batalha” — os 4 ensinamentos mais importantes — que os ajudaram a sair do absoluto zero e chegar a mais de 200.000 visitas orgânicas por mês ao longo dos primeiros anos do site.

estudo de caso seo

Vamos mergulhar direto na primeira lição.

Lição #1 — Conteúdo, Conteúdo, Conteúdo

O primeiro artigo do site Senhor Tanquinho foi ao ar em fevereiro de 2014.

Éramos apenas dois jovens apaixonados por alimentação, querendo contar ao mundo o que descobrimos em nossas jornadas pessoais de transformação pessoal.

guilherme e roney

Guilherme e Roney em 2014 — durante a semana, fazíamos faculdade, estágio… Aos finais de semana, nos dedicávamos ao nosso sonho: transformar a alimentação do Brasil.

Sendo assim, com algum conhecimento em alimentação, e um blog em WordPress, começamos a publicar nossas ideias.

O resultado dos primeiros meses de trabalho você já deve imaginar: praticamente ninguém chegava no blog.

Isso era muito frustrante, porque nós colocávamos muito esforço e dedicação em cada artigo.

Porque nossa intenção era escrever conteúdos completos, revolucionários…

E foi isso que fizemos: focamos no conteúdo.

Apesar de não vermos resultado nenhum de SEO, nós continuamos persistindo.

O nome da marca era “Senhor Tanquinho”. Mas o nome do meio era “Trabalho Duro”.

Então, semana após semana, continuávamos a escrever e postar.

Após alguns meses de trabalho, um dos artigos do blog (o nosso texto completo sobre dieta paleolítica) começou a rankear na primeira página do Google.

E claro que seria fácil olhar para trás e dizer: tivemos resultados apenas pelo nosso trabalho duro.

No entanto, isso seria um engano.

Porque temos de admitir que — além do trabalho duro — tivemos um pouco de sorte.

Como assim?

O fato é que nosso artigo era (e ainda é) o mais completo da internet brasileira sobre o tema.

No entanto, de nada adiantaria ser o melhor se ninguém se interessasse por ele.

Por isso, nossa sorte não foi ele rankear bem — mas sim o fato de que essa estratégia alimentar começou a se tornar mais popular.

Ou, como se diz por aí:

“Sorte é o que acontece quando a preparação encontra a oportunidade.”

E foi isso que aconteceu.

Isso foi em meados de julho de 2014 — apesar da escala ruim na imagem abaixo, talvez seja possível ver que os nossos acessos mais do que dobraram entre junho e julho, e continuaram subindo depois.

gráfico seo

No entanto, apesar da sorte, a lição é clara: mesmo num site relativamente novo (menos de 6 meses), sem estratégias de SEO, e sem backlinks… conseguimos colocar um artigo na primeira página do Google.

O que nos diferenciou dos demais sites foi a qualidade do conteúdo.

Mas é claro que não paramos por aí.

Resumo da lição #1: Conteúdo é o mais importante. Esteja preparado para quando a sorte te encontrar: faça bem feito, e comece hoje.

Lição #2 — Seja Útil Para As Pessoas: Elas Te Recompensarão De Maneiras Que você Nem Imagina

Nessa época, percebemos que a busca orgânica poderia ser um bom canal de aquisição de leitores, leads e clientes.

E mais: começamos a receber depoimentos de leitores, que contavam como suas vidas haviam sido transformadas.

Por isso — vendo que o que escrevíamos realmente ajudava as pessoas, focamos ainda mais em levar nosso conteúdo a mais gente.

Para isso, começamos a estudar mais sobre SEO (inclusive lendo blogs e estudos de caso como este que você está lendo).

E descobrimos que um dos fatores importantes para rankear bem era ter backlinks.

(Caso você não saiba o que são backlinks, um resumo: são links de outros sites apontando para as suas páginas.)

E o fato é que, por afinidade e em grupos do Facebook, acabamos conhecendo pessoas apaixonadas por alimentação saudável assim como nós somos — e conseguimos links para nossos artigos no site delas.

Não foi nada “arranjado” nem nada do tipo: o que aconteceu foi o seguinte.

Você concorda que é impossível alguém cobrir com detalhes TODOS os assuntos possíveis sobre alimentação?

Por mais que a gente gostaria de fazer isso, sabemos que o conteúdo é realmente infinito.

Então, quando um parceiro nosso tem um recurso mais completo sobre algum tema, nós linkamos para ele.

E, reciprocamente, desta maneira conseguimos links para nossos artigos e guias completos.

Mas algo nos chamou mais a atenção do que os sites “parceiros”.

E foi o fato de que conseguimos links para blogs pequenos (vários sites do tipo blogspot, wix, etc).

Fomos investigar, e descobrimos que se tratavam de pessoas comuns do dia a dia, que estavam fazendo “diários” de dieta.

Isto é: uma pessoa que começava a mudar a alimentação fazia um blog para contar de suas experiências com o emagrecimento saudável…

E, nessa, acabavam por linkar nosso site — pois foi lá que aprenderam como fazer dietas saudáveis como a dieta low-carb (que acabou se tornando o cerne do nosso site).

Ou seja: os backlinks são importantes, e ajudaram nosso site a subir ainda mais nos rankings.

Mas nós conseguimos backlinks justamente porque fazíamos conteúdos excelentes.

Sendo assim, é importante notar que de nada serve “colocar o carro na frente dos bois”.

Isto é: de nada adianta gerar links para artigos “porcaria”.

Porque é a qualidade que vai conquistar os corações e mentes (e links) das pessoas ao longo do tempo.

gráfico seo 2

Note como, continuando a tendência anterior, em 2016 fomos subindo ainda mais o tráfego, consistentemente.

(Observação: o período anterior não está disponível nesta imagem porque, no começo de 2016, migramos o site de http para https e perdemos os dados daquela “vista” do Google Analytics.)

Resumo da lição #2: Seja útil. As pessoas que se sentirem impactadas pelo seu conteúdo têm muito mais chance de falar de você — seja nas mídias sociais, seja no blog delas — e com isso você obtém backlinks mesmo sem fazer um esforço consciente para isso.

Uma outra interpretação é a seguinte.

As estratégias devem ser refinadas com o tempo e conforme avança o seu grau de sofitiscação.

Mas cada coisa tem seu tempo: por isso, não ponha o carro na frente dos bois (não foque em links antes de ter bom conteúdo).

Lição #3 — “Detalhes” Podem Fazer A Diferença Entre O Sucesso E o Fracasso Do Seu SEO

Parecia que estávamos numa crescente cada vez maior.

Até que, do dia para a noite, algo muito estranho aconteceu.

gráfico seo 3

Conforme você pode ver na imagem acima, nosso tráfego orgânico simplesmente despencou a níveis nunca antes vistos.

Em meados de abril de 2017, nosso tráfego orgânico praticamente sumiu.

Era praticamente impossível encontrar páginas do nosso site buscando-o no Google (e Bing, e outros buscadores).

Na verdade, você só nos encontraria se digitasse o nome do site em si: a nossa única palavra-chave parecia ser “Senhor Tanquinho”.

O que poderia estar causando isso?

Nós lemos um pouco na internet, e pensamos que poderia se tratar de algum tipo de “punição” do Google.

Mas a verdade é que isso não fazia sentido algum: porque nós sempre jogamos limpo, seguindo todas as regras, boas práticas, e políticas de SEO.

(Nunca fomos Black Hat.)

Sendo assim, resolvemos cavar fundo.

E precisou de muita investigação para descobrirmos o problema.

Afinal de contas, não somos pessoas técnicas em SEO.

Pois somos apenas dois caras que escrevem sobre alimentação saudável. Nossos resultados vieram de conteúdos incríveis sobre isso.

Sendo que o marketing que estudamos e praticamos tem a única e exclusiva função de compartilhar o que sabemos na nossa real especialidade.

Então essa busca provavelmente levou mais tempo do que deveria.

No entanto, um belo dia encontramos a resposta: era um simples erro no nosso sitemap.

E esse erro era tão simples que bastaram 15 minutos de trabalho para gerar um novo sitemap e colocar no Google Search Console.

Com isso, vimos nosso tráfego voltar aos níveis de antes — e até mais: chegamos ao número de mais de 297 mil usuários mensais vindos de busca orgânica.

gráfico seo 4

É curioso pensar que algo tão “pequeno” foi nosso gargalo de crescimento por meses a fio.

No entanto, fica o lembrete: de que no SEO (assim como em várias áreas da vida), os pequenos “detalhes” fazem toda a diferença.

Resumo da lição #3: “Pequenos detalhes” fazem toda a diferença. (E talvez não sejam “pequenos detalhes”. 😉)

Não negligencie o óbvio.

Lição #4 — Continue Trabalhando

Depois de recuperarmos nosso sitemap, nós não sentamos e ficamos esperando passivamente o tráfego orgânico voltar ao normal.

Em vez disso, continuamos a trabalhar e focar na nossa missão.

Tanto porque queremos difundir cada vez mais a mensagem da alimentação saudável.

Quanto porque a concorrência vem… e vem forte.

Pois a popularidade de dietas low-carb para emagrecer aumentava a cada dia.

O que fez com que sites grandes e antigos, com equipes de redatores, e mais “poder de fogo” se interessassem por produzir conteúdos acerca destes temas.

Isso fez com que as palavras-chaves e temas que mais nos interessam ficassem mais competitivas…

E isso levou a uma natural diminuição do volume de tráfego orgânico que obtemos.

(Isso é algo esperado em qualquer mercado: quando há apenas uma opção, todos a utilizam. Mas, conforme surgem mais opções, os clientes naturalmente se dividem entre elas.)

Mas isso também não quer dizer que nossos resultados vão todos por água abaixo de um dia para o outro.

Só porque agora um peixe grande chegou na lagoa.

Pois, mesmo nesse cenário mais competitivo, ainda estamos com cerca de 220.000 usuários mensais vindos de busca orgânica.

Isto é: mais de 200 mil leitores por mês adquiridos com o custo total de ZERO REAIS.

O que apenas reflete a necessidade de continuar trabalhando sempre.

Resumo da lição #4: O trabalho nunca acaba. Mas você vai se tornar melhor nele, e pode até mesmo começar a gostar cada vez mais.

Desta forma, temos aqui 4 lições sobre SEO de quem vem trabalhando com isso nos últimos 5 anos.

E que começou do absoluto zero: sem saber nem o que a sigla SEO significava.

Foi uma bela jornada, na minha opinião.

Mas agora eu gostaria de ouvir a sua opinião.

Por isso, me conte nos comentários o que mais chamou sua atenção neste estudo de caso.

E vamos continuar nossa conversa lá — certamente todos temos muito a aprender uns com os outros.

Forte abraço!